domingo, outubro 23, 2005

Era uma vez o sonho...

"Era uma vez..."



Eu adormecia ao som destas palavras... e sonhava com o mundo ideal, com pessoas ideais, com futuros ideais...

E à medida que eu sonhava, iam-se desenhando em mim as metas a atingir, os caminhos a percorrer, as asas a ganhar...

Quando acordava, o mundo estava na mesma... mas havia mais uma linha no desenho dos meus sonhos... e fazia toda a diferença...





"Era uma vez..."



Eu adormeço ao som destas palavras... e sonho com o mundo ideal, com pessoas ideais, com futuros ideais...

E à medida que eu sonho, vão-se desenhando em mim as metas a atingir, os caminhos a percorrer, as asas a ganhar...

Quando acordo, o mundo está na mesma... mas há uma linha a mais no desenho dos meus sonhos...e faz toda a diferença...apesar de saber que não existe um mundo ideal, nem pessoas ideais, nem futuros ideais...



Está bem, não existem...mas pelo menos eu sei que cada linha que desenho nos meus sonhos me guia para tornar o mundo um pouco melhor, para encontrar as pessoas certas, e para ter um futuro o mais risonho possível...



E é por isso que eu sonho... desde sempre... (e a partir do momento em que deixar de acreditar nos meus sonhos...então é mau sinal...)



"Conta-me histórias daquilo que eu não vi..."

2 comentários:

dezperada disse...

"e sempre que o Homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as maos de uma criança"


e tu.. tens nas maos O sonho...

*

code disse...

:) Adorei o texto.

Gostei do comentário... A Pedra Filosofal do António Gedeão na minha opinião é um dos poemas mais fantásticos da nossa língua.

Continua com essa alegria de quem Acredita.

Abraço,
André.